• Prescrição Cerâmica-Cimento cola
  • São cada vez mais frequentes as notícias nas quais são relatados casos de desprendimentos e descolamentos de fachadas cerâmicas de prédios. Para além da desvalorização/degradação dos edifícios e da má aparência dos mesmos, são também de equacionar os perigos para a segurança pública dos transeuntes da via pública bem como para automóveis e outros bens materiais.

    » Ver notícia exemplo aqui



    Os problemas são depois transferidos para o apuramento de responsabilidades entre construtores / arquitetos / fornecedores de materiais cerâmicos / fornecedores de colas e cimentos cola em situações que podem ser de difícil resolução. Seja qual for o apuramento, os condóminos ficam sempre lesados, pelo menos até à resolução do problema.

    Para garantir a durabilidade e a segurança do sistema "cerâmica-adesivo” em uso, a escolha correta do adesivo para um ladrilho específico, é fundamental.

    A tabela seguinte foi elaborada tendo em conta o grau de compatibilidade do sistema "cerâmica-adesivo”, numa condição tradicional, sobre um suporte cimentício absorvente.


    Tabela de Prescrição de cerâmica e cimento cola



    Estes são os requisitos mínimos de acordo com a característica "absorção de água” da cerâmica, respeitando as normas EN14411 e EN 12004. Existem condições adicionais a ter em conta, que podem levar a alterar a selecção do sistema, tais como:

    • Dimensões (CxLxA), geometria e natureza das peças de cerâmica;
    • Natureza, absorção e deformabilidade do suporte (betão, cerâmica existente, Gesso cartonado, madeira, metal, etc) onde o sistema será aplicado;
    • Ambiente de utilização (residencial, comercial ou industrial)
    • Usos específicos (Ambientes húmidos, exposição solar, rapidez de intervenção, etc)
    Nestes casos devem ser consultados os prescritores.